Opinião

“O povo que se dane!”

No afã de exibir sua cultura em direito penal, ministro do STF Gilmar Mendes solta corrupto confesso da Lava Jato

<b>Reprodução</b> Côrtes: esquema de propinas de R$ 300 milhões
Reprodução Côrtes: esquema de propinas de R$ 300 milhões
Por José Nêumanne - O Estado de S.Paulo - Rádio Eldorado
Publicado em 12/02/2018

Preso desde abril, o ex-secretário da Saúde de Sérgio Cabral, no Estado do Rio, Sérgio Côrtes foi solto por decisão do ministro do STF Gilmar Mendes. Côrtes chegou a confessar ao juiz Marcelo Brêtas, da Lava Jato no Rio, que participou de um esquema de propinas de 300 milhões de reais na área da saúde pública, uma das mais atingidas pela penúria que atinge o Estado, mas só ficou dez meses preso. Ao soltar o corrupto confesso por já ter concedido habeas corpus antes ao empresário que lhe pagava propina, Miguel Iskin (este ficou nove meses na cadeia), o ministro do STF deu mais uma demonstração de que mais importa impor suas teimosias jurídicas e expor sua sabedoria em dispositivos e firulas da lei penal do que a saúde pública e a vida dos pobres.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na sexta-feira 9 de fevereiro de 2018, às 7h30m)

OUÇA O COMENTÁRIO DE NÊUMANNE

https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-0902-direto-ao-assunto