Mundo

Famosos & Turismo

Prevê-se que, no corrente ano, mais de 21 milhões de estrangeiros visitem Portugal, com realce para Lisboa (7 milhões) e Porto, com fluxo estimado de 6 milhões de turistas.

<b>Reprodução</b> Escalada de preços
Reprodução Escalada de preços
Por Mauro Lobo - Correspondente em Portugal
Publicado em 14/01/2018

Madonna está morando em Lisboa, numa região nobre que abriga o Museu de Arte Antiga. São frontais de rua: o museu e o palacete do Ramalhete, onde a artista vive com os filhos, um dos quais treina futebol no Benfica, o time mais popular de Portugal.

John Malkovich também comprou apartamento em Lisboa, seguindo uma tendência de alguns ricos e famosos de todas as partes, encantados pela cidade. Não por coincidência, o país mergulhou na exploração das potencialidades turísticas, e apenas no ano passado foram inaugurados, somente na capital, mais de 15 hoteis de 4 e 5 estrelas. O alemão Michaek Fassbender comprou um apartamento na Mouraria, onde se aloja no intervalo de filmagens.
A relação é extensa e variada, incluindo ex-jogadores: Eric Cantona, Ian Harley (Irlanda), o designer do famoso sapato Loboutin, Chisthian, a atriz Monica Bellucci, surfista Garrett McNamara, campeão mundial em ondas gigantes.
Prevê-se que, no corrente ano, mais de 21 milhões de estrangeiros visitem Portugal, com realce para Lisboa (7 milhões) e Porto, com fluxo estimado de 6 milhões de turistas.
Diversos fatores se agregam para tentar explicar essa súbita febre por Portugal. A segurança urbana é talvez a mais forte atração, especialmente para brasileiros, mas a terra em si é bonita, com edificações históricas, praias encantadoras, eficiente sistema de autoestradas e rodovias secundárias, diversificada malha aérea com ligações para as grandes cidades do mundo. Para os originários de paises com moeda forte, o custo de vida mais barato relativamente é outro atrativo, afora a rica e variada culinária portuguesa, com realce para produtos do mar.
A FORÇA DO IMOBILIÁRIO
Os dados impressionam, notadamente se levarmos em conta o panorama de desânimo de poucos anos atrás: foram vendidas, no ano passado, 152 mil unidades habitacionais, uma subida de 25% sobre 2016. Desse total, cerca de 27% foram destinados a estrangeiros, com destaque para os naturais da França e do Brasil.
Os preços também seguiram a tendência de alta verificada no último triênio (ver gráfico). Segundo especialistas do setor, a elevação persistirá nos próximos anos, com a procura superando de muito a demanda. De facto, já se pode sentir a escassez de habitações, principalmente as destinadas à classe média, fato que preocupa as autoridades.
Verifica-se, em Portugal, o que já ocorreu em outros paises: o boom imobiliário é puxado, em parte, pela transformação de apartamentos e casas em unidades de aluguel por temporada. O país ocupa o oitavo lugar entre os destinos da poderosa Airbnb, a maioria do gênero, no mundo, com cerca de 5 milhões de unidades para locação. E, ainda mais relevante, a região do Algarve é o terceiro destino, numa escala mundial da empresa.
FORTE SURPRESA
O atual presidente de Angola, João Lourenço, parece decidido a incorporar o título, na acepção plena da palavra, em vez de parecer e aparecer como ditador, ao contrário de seu padrinho José Eduardo dos Santos. Em poucos meses, promoveu uma revolução dentro da revolução que levou ao poder os dirigentes da MPLA, Movimento pela Libertação de Angola.
Lourenço está fazendo uma faxina na sala e nos porões da administração de Santos, que governou o país africano durante 39 anos. Demitiu a filha da presidência da Sonagol, a estatal de petróleo, exonerou filhos de outras empresas estratégicas, e se prepara para controlar o fundo soberano de Angola, o último baluarte do império do ex-presidente.
Está sendo uma surpresa, esse comportamento do atual presidente. Este articulista, como a maior parte dos analistas políticos, incorreu na tolice de subestimar o poder próprio de João Lourenço.

Reprodução - Vista do Pátio