Política

Nova caravana: o morde e assopra de Lula

Maia fecha porta para Huck. Partidos terão mais R$ 888 milhões de fundo público para eleição. Proposta que visa restringir o foro empaca na Câmara. Denúncia contra Cristiane fica parada. Venda de carros volta a crescer. Crime em Itatiba etc

<b>Reprodução</b> Lula recomeça caravana
Reprodução Lula recomeça caravana
Por Folha de S. Paulo - O Estado de S. Paulo - O Globo - Exame - G1
Publicado em 14/02/2018

Enquanto seus advogados tentam colocar fim aos embates com o judiciário, o ex-presidente deve se concentrar em manter viva a chama da militância, escreve a revista Exame. Se o ano político no Brasil começa apenas depois da quarta-feira de cinzas, os olhares a partir de hoje estarão concentrados no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Seu primeiro evento será o lançamento de sua candidatura à Presidência da República em evento do PT no dia 21, em Belo Horizonte. 

Em janeiro, Lula foi condenado a 12 anos de prisão em segunda instância e agora tenta manter vivo o direito de concorrer nos tribunais superiores após a contratação do ex-ministro Sepúlveda Pertence como seu advogado e o fim dos embates com o judiciário. Enquanto isso, Lula, líder nas pesquisas, deve se concentrar em manter viva a chama da militância.

LavaJato acelera

Força-tarefa entrará em ritmo mais forte a partir do fim deste mês e do início de março, reporta Míriam Leitão. (O Globo)

Cuidado com as delações

Ministério Público não pode ditar a última palavra sobre os termos de uma colaboração premiada. (O Estado de S. Paulo)

Maia fecha porta para Huck

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, negou ontem a possibilidade de o apresentador Luciano Huck se candidatar à Presidência pelo DEM. (O Estado de S. Paulo)

Bloco

Com o fim do carnaval, Luciano Huck começará a pôr na rua o bloco da candidatura presidencial, escreve Vera Magalhães. (O Estado de S. Paulo)

Partidos terão mais R$ 888 milhões de fundo público para eleição

Verba autorizada pelo TSE se somará ao R$ 1,7 bi destinado às campanhas. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou o uso do Fundo Partidário para bancar campanhas das eleições deste ano. Com a decisão, partidos políticos terão R$ 888,7 milhões a mais para gastar, sendo R$ 780,3 milhões oriundos da União, além do R$ 1,716 bilhão do fundo eleitoral – criado para compensar o fim das doações empresariais, proibidas pelo Supremo Tribunal Federal em 2015. Somando os dois fundos, o orçamento eleitoral deve ficar próximo dos R$ 2,5 bilhões em 2018. Outro tema polêmico, relacionado à possibilidade de os candidatos custearem integralmente suas campanhas com o próprio dinheiro, deve ser analisado no plenário do Supremo. O Estado apurou que o relator da ação, ministro Dias Toffoli, vai apresentar parecer contrário ao autofinanciamento e a tendência da Corte, até o momento, é limitar os gastos a 10% dos rendimentos dos candidatos. (O Estado de S. Paulo)

Proposta que visa restringir o foro empaca na Câmara

A proposta de emenda constitucional que restringe o foro privilegiado para autoridades está paralisada na Câmara dos Deputados. O texto foi aprovado no ano passado pelo Senado.

A comissão de deputados que a analisará aguarda indicações de seus membros pelos partidos. De 35 titulares, 13 foram apontados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), diz que os trabalhos deverão começar em março. (Folha de S. Paulo)

Partidos vão disputar 16 vagas em agências

Em ano de eleição, com obstáculos à liberação de verbas, partidos devem disputar 16 postos de diretoria nas agências reguladoras. (O Globo)

Denúncia eleitoral contra Cristiane Brasil parou em 2010

A suspeita de associação ao tráfico na campanha eleitoral de 2010 contra a deputada e ministra nomeada Cristiane Brasil (PTB-RJ) nunca foi investigada na esfera eleitoral. A denúncia, que consta no inquérito da Polícia Civil revelado pelo Estado no último dia 3, foi recebida no TRE do Rio e enviada ao Ministério Público. A Procuradoria Regional Eleitoral, porém, nega ter registro da denúncia. (O Estado de S. Paulo)

TSE libera candidatura com recursos próprios

Justiça Eleitoral permite que candidatos autofinanciem integralmente suas campanhas. A medida pode sofrer ajustes até 5 de março. (O Globo)

Violência

Rio registra saques, arrastões e roubos. (O Estado de S. Paulo)

Críticas de Carnaval

‘Folia do protesto’ traz críticas contra política e reformas. (Folha de S. Paulo)

Governo usa BNDES para conter o endividamento

Dinheiro do banco evita que ‘regra de ouro’ seja formalmente desobedecida. 0 governo está tomando dinheiro emprestado para pagar despesas como folha de pagamento de servidores e benefícios da Previdência Social. A prática vai contra a “regra de ouro”, que proíbe o endividamento para pagar despesas de custeio. Os recursos tomados no mercado devem ser usados em investimentos ou amortização da dívida.

A regra de ouro só não está sendo formalmente descumprida porque o governo federal tem usado recursos tomados do BNDES. 0 quadro se agravou no ano passado, quando o Tesouro Nacional usou dinheiro dos empréstimos para custear despesas com seguro-desemprego, salários e aposentadorias de militares.

A prática prosseguiu neste início de ano. 0 Ministério do Planejamento diz que a norma atual apenas proíbe que empréstimos superem despesas de capital (investimentos e amortizações). A pasta admite que isso só não está ocorrendo graças ao dinheiro do BNDES. (Folha de S. Paulo)


Venda de carro mais barato volta a crescer após 4 anos

A recuperação do mercado de automóveis deixou de ser sustentada apenas pelos consumidores mais ricos e tem contado nos últimos meses com a contribuição de brasileiros de menor renda. Condições melhores de emprego e crédito permitiram que a venda de carros mais baratos – em queda desde 2013 – voltasse lentamente a crescer no segundo semestre de 2017. Segundo analistas, a virada deve se consolidar neste ano. (O Estado de S. Paulo)

O desafio da tecnologia

A crise fiscal, o acatamento pela OMC de queixas contra medidas protecionistas do Brasil e o desafio da nova revolução industrial trazem desafios que exigem respostas rápidas. (O Estado de S. Paulo)

Cresce exportação de gado vivo

Na mira de entidades de defesa animal, atividade registra expansão de 20% ao ano, impulsionada por negócios com países de religião islâmica. (O Estado de S. Paulo)

Incêndios são quase tão ruins quanto desmate na Amazônia

Incêndios na Amazônia lançam no ar cerca de 1 bilhão de toneladas de dióxido de carbono ao ano, mais da metade do produzido pelo desmatamento, aponta estudo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

A seca de 2015 levou a um aumento de 36% na ocorrência de incêndios em relação à média dos 12 anos anteriores. Emissões de CO2 estão na raiz de alterações climáticas. (Folha de S. Paulo)

Prisão de mães é excessiva no país e deve ser revista

A espada da Justiça está sendo usada de forma desproporcional em milhares de casos, envolvendo gestantes e mães no país. Das 42.355 mulheies presas no Brasil, 74°/o têm ao menos um filho. O custo de manter na prisão mães que cometeram ciimes sem violência não se justifica, escreve Ilona Szabó de Carvalho. (Folha de S. Paulo)

Pai mata dois filhos a tiros e comete suicídio em Itatiba

Crime aconteceu no fim da tarde desta terça-feira (13). Homem também baleou a avó das crianças, que foi hospitalizada. Causa do ataque é investigada, escreve Eduardo Ribeiro Jr., no G1.

Um homem matou os dois filhos a tiros e cometeu suicídio no fim da tarde desta terça-feira (13), em Itatiba (SP), informou a polícia. A avó das crianças também foi baleada.

Equipes de resgate foram chamadas até o local, na avenida Estados Unidos, no bairro Jardim das Nações, e chegaram a fazer o atendimento das vítimas. As duas crianças, com idades entre 9 meses e 5 anos, não resistiram aos ferimentos.

O homem foi encontrado morto na rua, na frente da casa. A avó das vítimas foi baleada no braço e socorrida à Santa Casa de Itatiba.

Vizinhos informaram que a suspeita do crime é que o homem não aceitava a separação. A polícia investiga a causa do ataque.

A violência chamou a atenção de muitas pessoas que foram até o local. A polícia isolou a área para o trabalho da perícia.
Crise venezuelana já se equipara à do Mediterrâneo

O fluxo de migrantes venezuelanos para Colômbia e Brasil já se assemelha ao movimento mensal de refugiados que cruzaram o Mar Mediterrâneo para a Itália no auge da crise migratória europeia de 2015. O alerta é de Joel Millman, da Organização Internacional de Migrações. Mais de 500 mil deixaram a Venezuela em 2017. (O Estado de S. Paulo)

Trump corta um terço da verba para diplomacia

A proposta de orçamento de Donald Trump para 2019 prevê o corte de quase um terço dos US$ 55 bilhões destinados à diplomacia. Restrições atingem todos os programas do Departamento de Estado —principalmente ajuda a outros países. Já os investimentos militares cresceram. (Folha de S. Paulo)

Ataque na Síria opõe russos a forças dos EUA

Um confronto na Síria opôs forças leais a Damasco a tropas americanas e cur-das, e pode ter deixado dezenas de russos mortos. Moscou minimizou o episódio, que explicita os riscos da nova fase da guerra civil no país árabe, dizendo que se há russos mortos, eles eram mercenários. (Folha de S. Paulo)

Reprodução - Lula e Cabral em passado recente