Política

Otimismo cai. Reforma adiada. Caso Lula só em 2018

Otimismo com a economia tem pior índice, mostra Ibope. Governo deve adiar reforma da Previdência para 2018. Segunda sentença de Moro sobre Lula sairá só em 2018. Secas e inundações afetam 55 milhões de brasileiros. Alckmin, Picciani, violência etc.

<b>Reprodução</b> Pessimismo - Sei não, sei não...
Reprodução Pessimismo - Sei não, sei não...
Por Folha de S. Paulo - O Estado de S. Paulo - O Globo
Publicado em 01/12/2017

Apenas 21% dos entrevistados acreditam que a economia vai melhorar, pior índice em 8 anos, e mais de 80% consideram o governo corrupto. Para Márcia Cavallari, diretora executiva do Ibope, sinais de melhora econômica não estão sendo percebidos. (O Estado de S. Paulo). Dívida pública, risco crescente - País não consegue cobrir sequer parte dos juros vencidos. 

Governo deve adiar reforma da Previdência para 2018

Presidente da Câmara diz que ‘ainda falta muito voto’. PSDB só decidirá se apoia proposta semana que vem. Dólar sobe e Bolsa cai com temor de que mudanças não sejam aprovadas. A dificuldade em conseguir apoio para a reforma da Previdência deve levar o governo e líderes da base aliada a adiar a votação para 2018. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que “ainda falta muito voto” para garantir que as mudanças passem. O PSDB só decidirá semana que vem se fechará questão em torno do texto do governo. O temor de que a reforma não seja aprovada fez o dólar subir 0,95% e a Bolsa cair 1,26%. (O Globo)

Maia não vê condições para votação, agora, da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), indicou ver falta de vontade dos partidos da base em votar a reforma da Previdência e disse que não faz sentido pautar o tema se houver risco de derrota. Aliados do governo descartam votação na próxima semana. (O Estado de S. Paulo)

Governo não tem votos para nova Previdência

Enquete da Folha de S. Paulo mostra que 210 deputados são contra o projeto de Temer. O governo não tem os 308 votos para aprovar a reforma da Previdência, uma das principais bandeiras de Michel Temer (PMDB), na Câmara. É o que aponta enquete realizada pela Folha de 27 a 30 de novembro. Nela, 210 deputados declararam que votarão contra a proposta. Só 38 parlamentares se disseram favoráveis ao projeto. Oito afirmaram ser parcialmente a favor, divergindo em relação à idade mínima e ao limite para acumular pensões. Há 44 indecisos, 14 seguirão a posição do partido, 97 não responderam e 96 não foram localizados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ontem que “falta muito” para que o governo tenha o apoio necessário. A proposta, mais enxuta que a original, estabelece idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) para aposentadoria. Outra exigência é de 15 anos de contribuição para trabalhadores do setor privado, como ocorre hoje, e de 25 anos para servidores. A resistência à reforma deve-se às eleições de 2018. Deputados temem perder eleitores caso apoiem medidas impopulares. 

Para que servem os partidos?

A reforma da Previdência é, de fato, um tema bastante impopular. É justamente nessas horas, portanto, que os partidos precisam dizer por que existem. (O Estado de S. Paulo)

Desemprego cai com vagas informais

A taxa de desemprego caiu para 12,2%, informou o IBGE. Mas, desde abril, quando o mercado de trabalho começou a reagir, três quartos das vagas criadas foram no trabalho por conta própria ou em postos sem carteira assinada. Ao todo, o país ainda tem 12,7 milhões de desempregados. Desemprego cai - Taxa é de 12,2%, mas País levará 2 anos para retomar índice de 2016. (O Estado de S. Paulo). Melhora sob risco - Míriam Leitão escreve que atuação do governo e do Congresso ameaça sabotar a recuperação. (O Globo).

Quase todas as vagas criadas no país são informais

Apesar de o desemprego ter recuado de 13,3 milhões para 12,7 milhões no trimestre encerrado em outubro, quase 100% das vagas criadas no setor privado são em postos sem carteira assinada. Segundo o IBGE, a informalidade “contribui para a precarização do mercado de trabalho” do país. (Folha de S. Paulo)

Infraero desiste de investir no Galeão e torna negócio incerto

O Conselho de Administração da Infraero decidiu que não fará um investimento de R$ 1,4 bilhão previsto na concessionária responsável pelo aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Sem o aporte, o grupo chinês que substituiria a Odebrecht no negócio pode desistir dele. Isso exigiria a busca de novo parceiro privado para o terminal. (Folha de S. Paulo)

Em 4 anos, secas e inundações afetam 55 milhões de brasileiros.

Alterações nos padrões de ocorrências das chuvas são indícios de mudanças climáticas, dizem especialistas. Levantamento quadrienal da Agência Nacional de Águas (ANA) sobre o acesso e o uso da água aponta que o País vive uma situação de estresse hídrico, informa André Borges (O Estado de S. Paulo). Entre 2013 e 2016, 78% dos 1.794 municípios da Região Nordeste decretaram, pelo menos uma vez, situação de emergência ou estado de calamidade por causa da seca extrema que castiga a região há cinco anos, segundo o relatório Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil 2017. Em situação oposta, outros 2.641 municípios, o equivalente a 47,5% das cidades do País, viveram episódios de alagamentos, enxurradas e inundações. Os desastres relacionados ao clima afetaram, no período, 55,7 milhões de pessoas. “Este ano deve se confirmar como o mais seco desde 1931, quando começou a série histórica”, diz Joaquim Gondim, superintendente de operações e eventos críticos da ANA. Para especialistas, as mudanças drásticas nos padrões de ocorrências das chuvas são indícios das mudanças climáticas.

Segunda sentença de Moro sobre Lula sairá só em 2018

A segunda sentença do juiz Sergio Moro sobre Lula na Lava Jato ficará para 2018. O trâmite da ação que acusa o ex-presidente de receber propina da Odebrecht via compra de terreno para o Instituto Lula atrasou com a discussão sobre a autenticidade de recibos e pedidos de análise de materiais da delação da empreiteira. (Folha de S. Paulo)

Como pode?

Não entendo como um ministro do Supremo pode adiar a decisão da maioria, escreve Fernando Gabeira (O Estado de S. Paulo).

De olho na eleição, Alckmin busca R$ 2,5 bilhões para obras

Pré-candidato à Presidência, o governador de SP, Geraldo Alckmin (PSDB), pediu que a Assembleia autorize empréstimo de R$ 2,5 bilhões para obras do Metrô e da rodovia dos Tamoios. O tucano também prevê entregas quase semanais de projetos em áreas como infraestrutura e saúde. O objetivo é fortalecer a imagem dele como gestor. Acordos tucanos - Com acordos, PSDB se especializou em perder eleições. (Folha de S. Paulo)

Temos na política o cruzamento do jumento com a vaca

Aqui e ali leio e ouço reclamações sobre a “velha política”. Da extrema esquerda à extrema direita, reivindica-se a novidade como valor em si, como categoria política ou de pensamento. Reinaldo Azevedo (Folha de S. Paulo) comenta que até conservadores fazem dela um fetiche, o que é coisa de hospício. Jair Bolsonaro, por exemplo, quer-se o novo.

Elena Landau deixa PSDB: ‘Lutei por uma boa causa’

Economista demonstrava descontentamento com os rumos da sigla, à qual foi filiada por 25 anos. A gota d’água foi o documento Gente em Primeiro Lugar, que deve servir de base à campanha eleitoral e foi elaborado sem participação de economistas. (O Estado de S. Paulo)

Picciani em dia de derrotas

Enquanto no STF o ministro Dias Toffoli decidiu manter Picciani na cadeia, no TCE fracassou de vez a tentativa de manter a vaga de conselheiro sob controle do PMDB. (O Globo)

A crise não chegou à Alerj

Apesar da penúria do Rio, a Alerj vai às compras. Só com peças de couro para reformar cadeiras, foram gastos R$ 79 mil. (O Globo)

Apelo contra a violência

Moradores da Vila Joaniza e da comunidade do Barbante, na Ilha do Governador, protestam em dia de operação policial na região, onde traficantes expulsaram PMs e destruíram sua base no sábado. (O Globo) - Na Rocinha, um ‘delivery’ de drogas. Quadrilha abastecia Zona Sul e Barra. Assaltos esvaziam Santa Teresa.

Maduro prende dois ex-ministros por corrupção

Eulogio del Pino e Nelson Martínez foram detidos ontem acusados de atos de corrupção. Ambos foram ministros do Petróleo e ocuparam a presidência da PDVSA. A Venezuela enfrenta uma escalada de problemas. Caracas ficou dois dias sem metrô nesta semana por causa de apagões e pacientes não têm acesso a remédios. (O Estado de S. Paulo)

MANCHETES DE JORNAIS BRASILEIROS, QUINTA-FEIRA, 30 DE NOVEMBRO DE 2017.

O Globo

Sem reforma, Previdência custará R$ 110 mil a cada jovem.
Rombo terá de ser coberto por brasileiros que hoje têm até 25 anos.
Trabalhadores mais novos pagarão imposto maior no futuro para cobrir déficit de R$ 9 trilhões e custear todas as aposentadorias do país, estima governo. Alternativa seria corte em gastos essenciais
Se as regras para a aposentadoria não mudarem, o rombo da Previdência deixará uma conta de R$ 110 mil a ser paga por cada brasileiro com menos de 25 anos. Considerando todos os benefícios previstos para o governo pagar no futuro, o déficit no sistema hoje é de R$ 9,23 trilhões, valor que terá de ser custeado pelos trabalhadores mais jovens, por meio de contribuições maiores ou mais tributos. Estudo do Ministério da Fazenda mostra que, se não houver a reforma, o peso dos impostos federais poderá subir dos atuais 20,9% do PIB para 30%. A alternativa seria reduzir gastos essenciais, como em educação e segurança pública. O governo não quer fazer novas concessões na proposta, pois avalia que regras mais suaves para servidores não garantirão votos favoráveis. Mudanças no regime do funcionalismo levariam a economia de R$ 88 bilhões em dez anos.

Padilha: PSDB já não é mais da base aliada

Um dia após o governador Alckmin dizer que é contra o PSDB manter ministros no governo, Eliseu Padilha, braço-direito de Temer, disse que o partido “já não está mais na base aliada”. A decisão tem a anuência de Temer, que, em público, nega a saída. Ela será feita aos poucos, para garantir apoio dos tucanos às reformas.

Planilha revela cota de Aécio no governo

Foram apreendidas pela Polícia Federal, no gabinete do senador Aécio Neves, 14 folhas com planilhas detalhando indicações políticas na administração federal em Minas Gerais, com cargos já preenchidos e outros disponíveis, revela Vinicius Sassine.

Gasto com proteção à infância cai

O trabalho infantil ilegal atinge um milhão no Brasil, segundo o IBGE. E, entre os adolescentes de 16 e 17 anos que trabalham, um quarto está fora da escola. Mas o governo gastou este ano só R$ 1 bilhão dos R$ 2,4 bilhões previstos para ações de proteção à infância, mostra levantamento de O Globo.

Rosinha usará tornozeleira

Por decisão unânime do TRE do Rio, a ex-governadora Rosinha Garotinho deixará a cadeia e será monitorada por tornozeleira eletrônica. Ela terá de ficar em casa à noite e não poderá deixar o Rio.

Anvisa muda recomendação

A Anvisa recomendou que pessoas que nunca tiveram dengue não tomem a vacina contra a doença. Nesses pacientes, a imunização pode provocar forma mais grave da dengue.

Maduro disputará reeleição, diz vice

Embalado por vitórias nas eleições regionais, Maduro vai disputar a reeleição em 2018, informou o vice-presidente, Tareck Aissami. Já o Equador vai pôr em votação o fim da reeleição sem limites.

Lei Rouanet: Novas regras buscam atrair mais empresas (Segundo Caderno).

Colunistas

Merval Peireira
Investigações da Lava-Jato devem ganhar mais agilidade em 2018.

Lydia Medeiros
Rodrigo Maia assume risco de liderar aprovação da Previdência.

O Estado de S. Paulo

Concessionárias querem adiar obras de duplicação de estradas.

Empresas alegam dificuldades como recessão econômica e enxugamento de crédito; tarifas de pedágio não vão cair. Concessionárias de rodovias federais aproveitam possibilidade aberta pelo governo e vão pedir o adiamento para 2028 da conclusão das obras de duplicação que haviam se comprometido a entregar, originalmente, em 2019. Diante de uma série de contratos que dificilmente seriam cumpridos por causa da recessão, do enxugamento do crédito do BNDES e, em boa parte deles, da Lava Jato, o governo concordou em alongar o prazo de cinco para até 14 anos após a assinatura dos contratos. Pelo menos duas concessionárias, a Rota do Oeste e a MGO, confirmaram intenção de negociar novo cronograma. Concebra e MS Via também avaliam se vão pedir prazo maior. As tarifas de pedágio, cujos valores pressupõem duplicações em cinco anos, não cairão de imediato. 

Pacote do PSDB ‘tiraria’ R$ 109 bilhões da Previdência

O pacote de sugestões do PSDB na Previdência levaria a uma redução de R$ 109 bilhões na economia esperada em dez anos. A versão atual já reduziu a R$ 480 bilhões, ou 60% da proposta original, o impacto fiscal da reforma. Tucanos defendem que servidores que ingressaram até 2003 se aposentem sem a nova idade mínima.

Lei Rouanet muda e sobe teto para incentivos fiscais

Estão previstas sete modificações na Lei Rouanet, segundo o ministro Sérgio Sá Leitão (Cultura). A lei deve ser simplificada, e o teto do valor incentivado passará de R$ 40 milhões para R$ 60 milhões. Também deve haver descentralização regional, entre outros pontos.

Câmara quer votar foro e lei de abuso em conjunto

Se a PEC que restringe o foro privilegiado aos presidentes dos três Poderes for aprovada, parlamentares passariam a ser julgados na primeira instância. Por isso, deputados se articulam para aprovar também o projeto que trata do abuso de autoridade como um recurso legal para quem se sentir perseguido por membros do Judiciário.

Padilha defende ‘projeto único de poder’ para 2018

O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) defendeu um “projeto único de poder” dos partidos aliados para a eleição presidencial e antecipou a saída do PSDB ao dizer que a sigla não faz mais parte da base de apoio do governo.

Maduro tentará reeleição na Venezuela

O presidente Nicolás Maduro tentará ser reeleito em 2018, segundo o vice Tareck El Aissami. Analistas acreditam que o anúncio possa ser um sinal de que Maduro vai marcar a eleição, ainda sem data definida, para o início do ano.

Mortes de bebês por sífilis triplicam no País.

Governo reduz exigências para passaportes

A partir de dezembro, quem for tirar ou renovar o passaporte precisará apresentar apenas a identidade e o CPF em algumas localidades. A mudança será gradual, e deve ser implementada em todo o País até o fim de 2018. Atualmente, são exigidos documentos como quitação do serviço militar e comprovante de votação.

Zeina Latif

Ante o envelhecimento da população, diversos países já fizeram reforma da Previdência.

Notas & Informações

O samba do tucano doido

O drama hamletiano em que se converteu a indefinição do PSDB retira de seu eleitorado a certeza de que, escolhido nas urnas, fará aquilo que dele se espera.

Bons cenários, mas com riscos

Crescimento depende de contas públicas e reformas.

Folha de S. Paulo

Temer quer que o PSDB apresse saída da Esplanada

Tucanos não estão mais na base do governo, diz ministro da Casa Civil. O presidente Michel Temer decidiu se antecipar ao movimento do PSDB e passou a pressionar o partido para que agilize seu desembarque da Esplanada. Para o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), a sigla não faz mais parte da sustentação do Planalto. “O PSDB já disse que vai sair. Nós vamos fazer de tudo para manter a nossa base de governo e um projeto único de poder para 2018”, disse. A Folha apurou que Temer ficou irritado com fala do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O tucano, que deve assumir a presidência do partido em 9 de dezembro, já planeja o rompimento com o governo. Temer e Alckmin têm reunião marcada para o sábado (2), quando devem discutir a saída definitiva da legenda, que tem três ministros na gestão do peemedebista. Com o endurecimento do tom, o presidente faz um aceno aos partidos do centrão, como PP, PTB e PR, que desejam cargos e são fundamentais para a aprovação da reforma da Previdência. Por outro lado, aliados veem risco na estratégia, já que os tucanos também são importantes para a votação. Os senadores Aécio Neves e Tasso Jereissati defendem publicamente o apoio à reforma, mas parte da bancada da Câmara quer mudanças no texto. 

Impasse com a Previdência gera incerteza no mercado

Economistas e analistas do mercado que estiveram em Brasília para avaliar a posição de congressistas acerca da reforma da Previdência decepcionaram-se. A percepção é que mesmo uma proposta desidratada não será votada neste ano, por falta de apoio. Nesta quarta (29), a Bolsa caiu e o dólar subiu.

Vinícius Torres Freire

Deputados querem adiar a reforma para o Carnaval.

Trabalho infantil atinge 1,8 milhão no país, diz IBGE.

Vacina da dengue é risco para quem nunca teve doença

A Anvisa decidiu restringir a recomendação da única vacina contra dengue disponível no país. O produto, ofertado em clínicas particulares, deixa de ser indicado para pessoas que nunca tiveram contato com esse vírus. Segundo dados preliminares do fabricante da vacina, há risco de que esse grupo desenvolva formas mais graves da doença após picada do Aedes aegypti.

Fiz uma lambança, diz ex-procurador que atuou para JBS

O ex-procurador Marcello Miller disse em depoimento à CPI da JBS que “fez uma lambança” ao ter ajudado a empresa nas negociações de delação premiada antes de deixar o Ministério Público. “Não me atentei para as interpretações que poderia suscitar”, afirmou. Ele negou ter cometido crimes e que tenha orientado Joesley Batista a gravar o presidente Michel Temer.

PF suspeita que Aécio Neves tenha usado celular em nome de ‘laranja’.

Homens de preto

Índios voluntários da etnia Ticuna, uma das mais numerosas da região amazônica, durante patrulha noturna em Tabatinga, a cerca de 1.100 km de Manaus; eles tentam coibir o consumo de drogas e os crimes na região.
Mercado Aberto

Usinas de Angra podem ter falta de urânio em 2019

Devido a um gargalo orçamentário,pode faltar elemento combustível de urânio para as usinas nucleares de Angra a partir de 2019, segundo a Eletronuclear e o Ministério da Ciência e Tecnologia. A situação é semelhante à que forçou a Polícia Federal aparar de emitir passaportes neste ano.