Política

DELATOR APRESENTA DOCUMENTOS PARA REFORÇAR ACUSAÇÕES A LULA

Empresário da OAS vai mostrar agenda de encontros e viagens ao Guarujá. Em meio à crise, PT perde mil diretórios municipais. Odebrecht mostra pagamento ligado a reunião com Temer. Governo já admite adiar votação da Previdência. Leia mais...

<b>Reprodução</b> Temer e Lula, juntos, no passado
Reprodução Temer e Lula, juntos, no passado
Por Folha de S. Paulo - O Estado de S. Paulo - O Globo
Publicado em 22/04/2017

Relatório do MPF identifica que dois carros registrados em nome do Instituto Lula foram seis vezes, entre 2012 e 2014, de São Bernardo à cidade onde fica o tríplex que seria do ex-presidente.

Depois de afirmar que o tríplex do edifício Solaris, no Guarujá, era para Lula, o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, vai utilizar um conjunto de documentos para comprovar o que relatou ao juiz Sérgio Moro. Pinheiro tem agenda de encontros com Lula e o registro de centenas de telefonemas e contatos relativos às negociações do apartamento no litoral paulista. O Globo escreve que o MPF também identificou seis viagens de dois carros registrados em nome do Instituto Lula ao Guarujá, entre 2012 e 2014. O jornal afirma, em editorial, que cerco de depoimentos confirma Lula como o ‘chefe’. Os editoriais de O Estado de S. Paulo opinam sobre o tempo contra a Lava Jato e o mal do petismo. Seria frustrante para a consciência cívica nacional a confirmação da possibilidade de que a proverbial morosidade da Justiça acabe resultando na prescrição de ações penais. O PT deixou como marca indelével a percepção de que onde houve governo, houve corrupção. Advogado José Roberto Batochio, segundo Mônica Bergamo (Folha de S. Paulo) deve deixar as defesas de Lula e Palocci.
Em meio à crise, PT perde mil diretórios municipais
O PT não conseguiu organizar diretórios em 1,12 mil das 3,35 mil cidades onde realizou eleições para esse fim no último dia 9. Naquelas localidades - 27% do total das 4,1 mil onde o partido está instalado -, os diretórios serão substituídos por comissões provisórias. O número de votantes também caiu de 425 mil, em 2013, para 290 mil agora. Para alguns dirigentes, segundo O Estado de S. Paulo, a dificuldade de preencher cotas obrigatórias provocou a situação, mas para outros é mais um revés sofrido desde o início da Lava Jato.
Odebrecht mostra pagamento ligado a reunião com Temer
Delatores da empresa dizem que negociaram propina em contrato da Petrobras durante encontro em 2010.

A Odebrecht apresentou a investigadores da Lava Jato extratos que seriam de pagamento de propina vinculada por delatores a um encontro com Michel Temer em 2010. Os valores superam os US$ 40 milhões que, segundo ex-executivos, foram acertados em encontro com o hoje presidente no seu escritório em São Paulo. O dinheiro ê ligado, de acordo com a empresa, a contrato internacional da Petrobras. Os repasses foram feitos de julho de 2010 a dezembro de 2011, a maioria em contas de operadores no exterior, indicam os documentos. Cinco empresas em paraísos fiscais teriam sido utilizadas. O delator Márcio Faria afirmou que o PMDB negociou o recebimento de 5% do contrato. Na reunião com Temer, disse, não se falou em valores, “mas ficou claro que se tratava de propina”, não de verba eleitoral. Outro delator, Rogério Araújo, disse que o presidente “assentiu” e deu a “bênção” aos termos do acordo, previamente tratados com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), escreve a Folha de S. Paulo. Temer diz que jamais tratou de valores com delatores da empreiteira. A defesa de Cunha classificou a acusação como “absurda”. 

Temer nomeia novo ministro
O presidente Michel Temer nomeou Tarcísio Vieira para a vaga de Luciana Lóssio, que só deixa o Tribunal Superior Eleitoral em 5 de maio, escreve O Globo. É o segundo ministro escolhido pelo peemedebista, alvo de processo naquela Corte.

Maia admite adiar a votação da reforma da Previdência
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite adiar a votação da proposta da reforma da Previdência. Apesar de assumir que, hoje, o governo não tem votos suficientes para garantir a aprovação, Maia afirmou que não se trata de adiamento, mas de “aprofundamento na articulação”. “Se possível, vamos votar no dia 8 de maio. Se não for possível, a partir do dia 15.” Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, no O Estado de S. Paulo, “não serão uma ou duas semanas que farão diferença”.

Maia adia votação por problemas na base aliada
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, admite que o projeto da reforma pode ser votado somente em 15 de maio. O objetivo é aparar arestas com a base, a fim de garantir o placar para aprovar o texto. Em O Globo, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, minimizou o atraso e negou que possa haver novas concessões.

Governo já admite adiar votação da Previdência
A resistência da própria base levou o governo a admitir adiar em atê dez dias a votação da reforma da Previdência na Câmara, marcada para 8 de maio. Para aliados, o debate ficou “contaminado” pelo projeto original, mais duro, segundo a Folha de S. Paulo.“É preciso deixar claro que o texto antigo ficou para trás”, disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Salários reagem e superam inflação por dois meses
Reajustes salariais superam a inflação neste ano. Após estabilização em janeiro, as negociações conseguiram aumentos 1,1% e 1,8% superiores à alta dos preços em fevereiro e março, segundo a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). A Folha de S. Paulo escreve que a indústria é a única exceção até aqui.

Um futuro possível
O estudante da USP Vinicius Andrade, de 22 anos, criou o projeto Salvaguarda, que ajuda alunos de escolas públicas a realizar o sonho de cursar uma universidade, escreve O Estado de S. Paulo.
Polícia investiga facção paulista em explosão em Ipanema
Em uma ação que durou quatro minutos, bando explodiu uma agência bancária na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, ontem de madrugada, para roubar R$ 60 mil de um caixa eletrônico. Os bandidos usaram um quilo de pólvora. A polícia investiga se o crime, em frente à Praça Nossa Senhora da Paz, foi praticado por uma facção criminosa de São Paulo. Nos últimos três anos, foram apreendidas 758 bombas de fabricação caseira no Rio, escreve O Globo. Apesar de garantir que investe em segurança, federação de bancos diz não ter como enfrentar quadrilhas que utilizam "força desproporcional'.
Nove sem-terra são assassinados em Mato Grosso
Nove pessoas foram mortas anteontem em Colniza (MT) em uma disputa por terras, segundo a Secretaria de Segurança Pública. A Comissão Pastoral da Terra fala em dez mortes. A suspeita é de que os criminosos sejam capangas de fazendeiros, reporta O Estado de S. Paulo. Cerca de cem famílias de sem-ter-ra vivem no local.
Nove morrem em massacre no MT
Grupo encapuzado, segundo a PM, invadiu um assentamento no município de Colniza e teria assassinado nove homens em conflito por terras, reporta O Globo.

Saques e protestos deixam 12 mortos na Venezuela
Desde o início das manifestações contra o governo de Nicolás Maduro, há três semanas, 21 pessoas já morreram. Dez pessoas morreram ontem durante saques a estabelecimentos comerciais em Caracas, capital da Venezuela, após ato no qual reivindicavam alimentos e a renúncia do presidente Nicolás Maduro. Outros dois manifestantes foram mortos a tiros pela Guarda Nacional Bolivariana durante protestos - um deles já estava hospitalizado e não resistiu aos ferimentos. Os saques ocorreram no bairro de El Valle, reduto chavista no oeste de Caracas que ontem amanheceu cercado por forças policiais. Oito das dez vítimas morreram eletrocutadas após um cabo de eletricidade se romper quando saqueavam uma padaria. Desde o início das manifestações, há três semanas, já são 21 os mortos. O Estado de S. Paulo reporta que, segundo a entidade de direitos humanos Foro Penal Venezuelano - ligada à aliança de oposição Mesa de Unidade Democrática (MUD) -, 751 pessoas foram presas. O Globo escreve que o Brasil condenou a violência. 

Pedidos de asilo
Dados divulgados pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados mostram que, entre 2011 e 2016, mais de 40 mil venezuelanos pediram oficialmente asilo no exterior, principalmente em países da América Latina, informa O Estado de S. Paulo.

Terror é superado por economia na eleição francesa
O assassinato de um policial na quinta (20) pouco impactará o resultado. A campanha girou menos do que esperado em tomo do terrorismo, segundo a Folha de S. Paulo. Foram, sobretudo, a estagnação econômica e o desemprego crônico que dominaram os debates.

Le Pen cresce após atentado
A líder da extrema-direita, Marine Le Pen, subiu um ponto na pesquisa após o ataque terrorista na Champs-Elyssés. O Globo escreve que Le Pen e o conservador Fillon elevaram tom sobre islamismo.
Não foi terrorismo
Atentado ao ônibus do Borussia Dortmund foi por ganância, O Globo. Polícia prende suspeito.