Política

Ladrões de dinheiro de saúde, educação, creches...

Empresário está foragido. Sérgio Cabral teria € 1,8 milhão só em diamantes. Déficit da Previdência é recorde: R$ 149,7 bilhões. Muda a regra do cartão de crédito. Surto de febre amarela é o maior registrado no país. Trump e México batem de frente

<b>Reprodução</b> Cabral, Adriana Ancelmo e Eike Batista
Reprodução Cabral, Adriana Ancelmo e Eike Batista
Por Folha de S. Paulo - O Estado de S. Paulo - O Globo
Publicado em 27/01/2017

Eike abasteceu ‘mina de ouro’ de Cabral

Esquema tinha conexão com Uruguai e Panamá

Um “oceano ainda não completamente mapeado” de dinheiro foi desviado pelo esquema de corrupção chefiado por Sérgio Cabral, segundo a Lava- Jato, que ontem tentou prender Eike Batista. O empresário é acusado de pagar propina de US$ 16,5 milhões ao ex-governador, numa operação que envolveu a venda fictícia de uma mina de ouro. Pelo menos US$ 100 milhões foram encontrados em contas no exterior ligadas a Cabral, dos quais US$ 80 milhões já foram repatriados. Segundo O Globo, Eike viajara dois dias antes para os Estados Unidos, e a PF alertou a Interpol. “Eficiência” de Eike e Cabral afundou o Rio, opina Míriam Leitão.

Justiça manda prender Eike, que é considerado foragido
Alvo da Lava Jato, empresário é suspeito de pagar propina de US$16 milhões a Cabral. O empresário Eike Batista foi alvo nesta quinta de mandado de prisão preventiva em um desdobramento da Operação Lava Jato no Rio. Ele é suspeito de repassar propina de US$ 16,5 milhões ao ex-governador Sérgio Cabral e de ajudar a ocultá-la. O valor foi transferido, segundo a Procuradoria, por meio de contrato fictício de intermediação de compra e venda de uma mina de ouro. Em viagem ao exterior, Eike era considerado foragido por Polícia Federal e Interpol até a conclusão desta edição. Sem informar o paradeiro do empresário —que já foi um dos homens mais ricos do mundo—, a defesa de Eike disse que ele se colocou à disposição das autoridades para prestar “todas as informações necessárias” e se apresentará “em breve”. Cabral está preso. O Ministério Público afirma já ter conseguido recuperar R$ 270 milhões (ou 80% do total) da propina paga ao ex-governador em contas no exterior. Segundo a Folha de S. Paulo, parte dos recursos é composta por barras de ouro e diamantes.

Eike tem prisão decretada e é procurado pela Interpol
Polícia acusa empresário que já foi o 7º homem mais rico do mundo de dar US$ 16 milhões de propina a Cabral. O empresário Eike Batista teve a prisão preventiva decretada na Operação Eficiência e é considerado foragido. Já tido como o sétimo homem mais rico do mundo, ele foi incluído na lista de procurados da Interpol. É suspeito de corrupção ativa por repassar propina de US$ 16,5 milhões ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho (PMDB), por meio de simulação de contrato de consultoria para compra de uma mina de ouro na Colômbia pelo grupo do empresário em 2011. Os recursos ilícitos foram convertidos em ações da Vale, Petrobrás e Ambev. Com passaporte da União Europeia, Eike embarcou para os EUA na terça-feira. Investigadores suspeitam de vazamento da operação, escreve O Estado de S. Paulo. A passagem para Nova York foi comprada no mesmo dia. A mulher, Flavia, e o filho caçula viajaram na quarta. O empresário não tem curso superior. Se preso, ocupará cela para preso comum. Para Fernando Gabeira, chegamos a um ponto em que nada detém a Lava Jato. “Ela foi assumida pela Nação.” 

Ele se apresentará, diz defesa

O advogado de Eike Batista, Fernando Martins, disse que ele ficou surpreso com a decretação de sua prisão pela Justiça Federal do Rio. Segundo ele, no Estadão, Eike pretende se apresentar, mas ainda não há data e local definidos.

A nova pasta de Eike

Empresário investia agora em fábrica de pasta de dente. Sem curso superior, ele não deve ter cela especial, segundo O Globo.

Leão procura o vice-prefeito
Além de dever R$ 215.400 de IPTU, o vice-prefeito e secretário de Transportes do Rio, Fernando Mac Dowell, é cobrado pela Fazenda Nacional por não pagar R$ 137.200 em tributos federais, escreve O Globo.

149 bilhões
O déficit da Previdência chegou a R$ 149,7 bilhões em 2016, um recorde. E, pela primeira vez desde 2008, a Previdência dos trabalhadores urbanos voltou a ficar no vermelho: rombo de R$ 46,3 bilhões. Para analistas, em O Globo, o aumento do emprego formal até 2015 mascarou problemas estruturais da Previdência, que se tornará insustentável sem uma reforma.
Gasolina e diesel mais baratos
Após subir o preço da gasolina em 6,1%, no início de janeiro, a Petrobras anunciou ontem redução de 1,4% nas refinarias. O Globo escreve que o diesel ficará 5,1% mais barato. Nas bombas, o litro da gasolina poderá cair R$ 0,02, prevê a estatal.

Governo muda regra do cartão de crédito para reduzir juros
O Conselho Monetário Nacional limitou o prazo que clientes podem ficar no rotativo do cartão de crédito, que fechou 2016 com juro de 484,6% ao ano. Pela nova regra, se a dívida não for paga após 30 dias, o banco tem de transferi-la a outra modalidade de crédito, como o parcelado no cartão, de custo menor, escreve O Estado de S. Paulo. Atualmente, algumas instituições já oferecem a possibilidade de migração da dívida, mas isso depende de pedido do cliente.

Limite do rotativo para o cartão vale apartir de abril
O Banco Central definiu que o uso do rotativo do cartão de crédito ficará limitado a 30 dias a partir de abril. Depois, segundo a Folha de S. Paulo, as instituições financeiras devem ofertar novo tipo de financiamento ou parcelar a dívida, com número determinado de prestações e juros menores.

Rio terá de fazer ajuste de R$ 62,4 bilhões nas contas até 2019
Com risco de punição por afronta à Lei de Responsabilidade Fiscal, o governo federal assinou apenas uma “carta de intenções” com o Estado do Rio para a aprovação de plano de recuperação que envolve ajuste fiscal de R$ 64,2 bilhões até 2019. Segundo o Estadão, o presidente Michel Temer desistiu de fazer um acordo de emergência sem a aprovação das medidas legais pelo Congresso e a Assembleia Legislativa, e optou por assinar um termo de compromisso.

Rio terá de cortar gastos de R$ 9 bilhões
Acordo precisa de aval do Legislativo. O governo do Rio e a União fecharam acordo que pode ajudar o estado a sair da grave crise fiscal. O pacto prevê, em troca da suspensão do pagamento da dívida com o governo federal por três anos, corte de gastos de R$ 9 bilhões este ano, entre outras medidas. O socorro depende do aval do Congresso e da Alerj. ‘Resgate do Rio não pode fragilizar a responsabilidade fiscal’ escreve O Globo eem editorial.

Surto de febre amarela é o maior registrado no país
O Brasil já tem o maior número de ocorrências de febre amarela desde 1980, início da série histórica do governo. São 88, com 43 mortes. Em 2000, último pico da doença, houve 85 confirmações. A Folha de S, Paulo escreve que, quinta-feira, mais dois Estados (Mato Grosso do Sul e Goiás) anunciaram casos suspeitos.

Febre amarela se espalha
Além de Minas, São Paulo e Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Goiás registraram ontem os primeiros casos suspeitos de febre amarela. No Rio, segundo O Globo, o governo pediu à União envio de 350 mil novas doses de vacina.

País tem 564 mil mandados de prisão em aberto
Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostram que 564.198 mandados de prisão aguardam cumprimento no País. Esse total supera a quantidade de vagas existentes nos presídios: 376.669. Se os mandados fossem cumpridos, seria necessário criar 187,5 mil vagas, escreve O Estado de S. Paulo. O diretor-executivo da Human Rights Watch, Ken Roth, disse que “o controle das prisões no Brasil foi dado aos prisioneiros”.

A Folha de S. Paulo pergunta - A legalização das drogas diminuiria a violência?

Rogério Gentile - Não

Facções investiriam no crime de contrabando, a exemplo do cigarro.

Fernanda Mena - Sim

Regulamentação do comércio desafogaria a polícia e o Judiciário.

Trump e México batem de frente
A desavença sobre o muro na fronteira levou o presidente Trump a ameaçar taxar em 20% produtos do México, para pagar a obra. O Globo informa que o presidente mexicano cancelou visita aos Estados Unidos.

Trump planeja taxar produtos do México para bancar muro
O presidente dos EUA, Donald Trump, pretende impor tarifa de 20% sobre todos os produtos importados do México para bancar um muro na fronteira entre os países. A obra custaria até US$ 20 bilhões, e a medida pode gerar US$ 10 bilhões por ano. A Folha de S. Paulo escreve que o anúncio da proposta ocorreu após o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, cancelar reunião com Trump.

Brasil mostra preocupação com muro
Em nota oficial, governo brasileiro informou que “recebeu com preocupação a ideia da construção de um muro para separar nações irmãs do nosso continente sem que haja consenso”, escreve O Estado de S. Paulo.

O muro de Trump

Editorial de O Estado de S. Paulo afirma que Donald Trump não se sente limitado por nenhuma consideração política, diplomática ou moral.